Blog

nome do post Aprenda a ler os rótulos de alimentos e melhore sua qualidade de vida Escrito por:
Integralização 23 de Julho de 2020

Se você deseja ter uma boa qualidade de vida, manter uma rotina de exercícios físicos e alimentação saudável é fundamental. Mas para consumir bons alimentos, ler os seus rótulos é muito importante. Você sabe fazer isso?

 

As tabelas nutricionais contém informações para nos ajudar a verificar quão benéfico - ou menos prejudicial - é um alimento para o nosso organismo. Para isso, basta prestar atenção aos dados na próxima vez que você for fazer suas compras e tornar isso uma prática constante. 

 

Como fazer isso? Acompanhe o texto!

>>> Leia também: Como melhorar sua qualidade de vida em tempos de pandemia?

 

Deseja melhorar sua qualidade de vida? Leia as letras e os números miúdos

 

No Brasil, a divulgação dos ingredientes dos alimentos tornou-se obrigatória na década de 1960, mas foi somente a partir de 1999, com a criação da Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária - , que normativas mais relevantes foram aprovadas. 

 

As quantidades de ferro, sódio, cálcio, colesterol e gorduras saturadas passaram a ser informadas, assim como os alimentos e bebidas com glúten tiveram que adicionar a citação “contém glúten” em seus rótulos.

 

Atualmente, a Anvisa está revisando a rotulagem nutricional de alimentos, e a tendência é que tenhamos uma nova sinalização em breve, com aviso na frente do pacote para facilitar a leitura das informações. 

 

Essa é, portanto, uma medida para melhorar o estado nutricional da população e reduzir o desenvolvimento ou agravamento de diabetes, obesidade, hipertensão arterial e outras doenças crônicas não transmissíveis. 

 

Mas enquanto a nova rotulagem não sai, é preciso ter paciência e ler as letras e os números miúdos. 

 

>>> Você também pode gostar: Trabalhando em casa? Dicas práticas da nossa Osteopata!

 

Orientações para leitura de rótulos de alimentos

Observe a ordem dos ingredientes na lista

Os ingredientes devem estar listados no rótulo em ordem decrescente. Desta forma, os primeiros a aparecerem são os que estão concentrados em maior quantidade. 

 

É bom observar se um alimento contém realmente os ingredientes que ele deveria conter em maior quantidade. Como assim?

 

Se você quiser um pão integral e o primeiro ingrediente da lista for farinha branca, desconfie! É melhor escolher outro!

 

Para evitar doenças crônicas não transmissíveis, evite consumir em excesso alimentos com açúcar, glutamato monossódico, gordura vegetal, gordura vegetal hidrogenada, gordura da palma, xarope de glicose e corantes. 

Encontre a tabela nutricional

É hora de verificar as quantidades de proteínas, lipídeos, carboidratos, minerais e vitaminas, ou seja, as propriedades nutricionais do alimento. Você só vai precisar se esforçar um pouquinho para encontrar a tabela entre as ilustrações e propagandas da marca.

Verifique a quantidade por porção

Precisamos lembrá-lo, que o valor mostrado - em g, mg ou mcg RE - refere-se à porção estabelecida por legislação específica, isto é, não se refere à todo o produto da embalagem. 

 

Isso é relevante porque, muitas vezes, nos equivocamos ao ler o valor de sódio e interpretamos que o valor se refere ao produto inteiro e não à porção.

 

Se você consumir somente aquela porção, tudo bem, mas dificilmente alguém faz isso, não é mesmo? 

Valor diário

Agora vamos encontrar a sigla VD%, relativo a valor dário. Para compreender melhor, considere o VD% do nutriente Vitamina C de um leite em pó integral instantâneo: 30%. 

 

Essa porcentagem representa quanto esse alimento possui desse nutriente em relação à uma dieta média de 2000 calorias ou 8.400 quilojoules. Portanto, o leite em pó oferece 30% do total da quantidade recomendada de Vitamina C para a referida dieta.

 

Fazer a leitura correta dos valores diários, é muito útil para apurar se um alimento é rico em sódio, carboidratos ou gorduras. Não deixe de conferi-lo!

Escolha produtos compostos por ingredientes que você conhece 

Se ao ler o rótulo, você encontrar uma lista extensa de ingredientes, sendo que a maioria não lhe soa familiar, é melhor procurar outro. Produtos com muitos nomes, números e siglas estranhas, são ultraprocessados e seu consumo em excesso pode ser nocivo à saúde.

Se possível, adquira alimentos sem tantos ingredientes e aqueles com quantidades superiores de gorduras insaturadas e fibras alimentares.

Verifique outras informações

Você não se interessa em saber quem produziu o que você vai comer? Procure no rótulo, as informações sobre o fabricante, incluindo o contato para você, se precisar, entrar em contato para saber mais sobre o alimento. Além disso, veja a validade e como conservá-lo adequadamente para que não haja perda de nutrientes.

Gostou dessas dicas? Então coloque-as em prática! Mas não esqueça que outros hábitos saudáveis são essenciais! Você os mantém? Que tal avaliá-los para saber como está sua qualidade de vida?

Acesse a nossa ferramenta Índice de Estilo de Vida, faça uma auto avaliação gratuita e descubra!

Para mais dicas e conteúdos sobre bem-estar e saúde, acompanhe o blog da Seja Integral!

Compartilhe:
Comentários